Mulheres estão mais expostas a lesões osteoarticulares

Data: 12.09.12

Falta ou excesso de exercícios físicos e o uso de salto alto podem gerar problemas nas articulações.

Mulheres estão mais expostas a lesões osteoarticulares

As mulheres conquistaram um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, quebrando o paradigma de que mães e esposas não devem trabalhar fora, mas ainda enfrentam a realidade estressante e cansativa da dupla (ou tripla) jornada: elas fazem tudo que os homens fazem, mas continuam sendo as principais responsáveis pelos serviços domésticos e pela educação dos filhos (e ainda vão à academia!). Esse acúmulo de atividades que exigem tanto do corpo – se estas não forem realizadas da maneira correta – torna as mulheres mais propensas a lesões osteoarticulares por trauma, estresse repetitivo ou por falta de alongamento e fortalecimento muscular.

Além disso, existem ainda patologias que apresentam maior incidência entre as mulheres, como as listadas pelo ortopedista e especialista em cirurgia do quadril Walter Taki: “Luxações congênitas de quadril, com causas ligadas à genética; bursites e tendinites do quadril, devido ao fato de as mulheres terem os quadris mais largos que os homens; joanetes, muitas vezes pela utilização de sapatos inadequados; e osteoporose, principalmente pela alteração hormonal pós-menopausa”.

Os membros inferiores, como quadril, joelhos e tornozelos, são os mais propensos a lesões, já que sustentam o peso do corpo. Para protegê-los durante a realização de atividades físicas, o ortopedista e especialista em cirurgia do joelho Alexandre Queiroz reitera a importância de uma avaliação médica completa e do acompanhamento com personal trainer: “Cada pessoa precisa de atividades apropriadas. Para evitar lesões, deve passar antes por avaliação especializada (ortopedista, cardiologista e educador físico). É preciso conhecer os limites do corpo, como acrescenta Walter Taki: “É recomendável iniciar com exercícios leves e gradativamente ir aumentando a potência e o esforço físico. Boa alimentação, equilíbrio físico e mental e a prática frequente de atividades físicas também são dicas importantes, pois fortalecem toda a musculatura, dando mais estabilidade, força articular e nutrição ao tecido osteocartilaginoso”.

Mulheres que não praticam esportes também enfrentam problemas. O sedentarismo e o sobrepeso são os principais fatores de risco, como explica o especialista em cirurgia do joelho: “O sedentarismo causa perda muscular e, com isso, déficit de força muscular; e o sobrepeso é a maior causa de degeneração articular”.

Salto alto: o vilão das articulações

Os saltos, principalmente os altos, alteram o eixo do corpo, provocando hiperlordose lombar, inclinação da bacia e aumento da pressão em todo o antepé. Ao longo do tempo, isso pode causar dores  lombares e calosidades dolorosas nos pés, como explica Walter Taki. Com o devido cuidado, no entanto, esses problemas podem ser evitados. “Os saltos não são os vilões dos joelhos, desde que a mulher se prepare para usá-los (alongamento muscular com fortalecimento dos músculos) e que, mesmo sendo salto alto, seja confortável. O calçado ideal é o que dá conforto ao usuário”, afirma Alexandre Queiroz.

Editoria:  Saúde Multidisciplinar

Fonte: Sucesso Londrina

Informativos Dr. Walter Taki